sábado, 22 de janeiro de 2011

Amanhã

Amanhã quando abrires a porta para mim,
abras com a vontade de descobrir o mundo.
Abras com o anseio de não querer deixar partir os minutos vindouros.
Amanhã, quando abrires a porta para mim,
 abras com a certeza do desejo explícito,
 no olhar preso,
 na pele tenra,
 no coração insano.
E amanhã, quando abrires a porta,
 saiba que serei fogo, 
procura e intensidade.
Então saiba que serei sua,
 para perder no destino contado na pele dos desejos.
Por não saber onde estarei...
 Me encontre amanhã... 
Quando abrires a porta para mim.

Juscélia Sousa




3 comentários:

Dani Sgorlon disse...

Amanhã, quando abrires a porta pra mim... abra com paixão...
Abra a porta como quem se abre para a vida...
Descubra em mim caminhos e enigmas...
Me faça sua... sua morada, seu abrigo...
Porque, amanhã, quando abrires a porta pra mim...
Eu me entregarei inteira, nua, sem reservas ou barreiras...
Me entregarei como o pássaro se entrega ao primeiro vôo...
Para ser sua... até que a porta da vida se feche...

Amei seu poema lindona...
Espero que goste de minha contribuição...hahaha
beijosssssssssssssss

Juscélia disse...

Oi Dani, é sempre um deleite sua contribuição.
A casa é sua... deixe sempre seu toque inconfundível de ser... Bjocas

Cláudia Costa disse...

Eu me perco na intensidade das palavras que vc escreve e me reencontro nas emoções que elas despertam.

Gosto demais do que leio aqui.
Obrigada por escrever!!

Bjs lindíssima poetisa.

Postar um comentário

O meu passado é tudo quanto não consegui ser. Nem as sensações de momentos idos me são saudosas: o que se sente exige o momento; passado este, há um virar de página e a história continua, mas não o texto.
Fernando Pessoa

Obrigada pela visita...